Como está a sua digestão?

Bianca Enricone - Como anda a sua digestão - Detox Kriyá - Foto Divulgação

Chega um momento da nossa vida que as coisas parecem desandar no que se refere a digestão. É uma sensação estranha porque parece que até ontem podíamos comer de tudo. E agora, infelizmente não é mais tudo que o corpo consegue digerir.

Aos poucos o corpo começa a reclamar porque não consegue mais digerir um grupo alimentar, as vezes o leite, as vezes gorduras, ou até mesmo as carnes. E, com o passar do tempo, e se nada for feito, a verdade é que os alimentos parecem se tornar bandidos porque nada mais podemos comer sem passar mal.

Os sintomas da indigestão ficam cada vez mais evidentes e recorrentes. Azia, refluxo, gases, dores abominais e sensação de estar “estufado” vão ficando cada vez mais comuns. Alguns pacientes se conformam com este quadro e relacionam com o envelhecimento. Mas será?

Você já sentiu ou está sentindo o que eu descrevi?

Por que a digestão começa a ficar difícil?

A verdade é que depois de algumas primaveras, em especial após os 40 anos o organismo
começa a diminuir a quantidade de Ácido Clorídrico pelo estômago e assim a digestão fica mais difícil. Isso hoje tem um nome e se chama Gastrite Atrófica Assintomática.

A boa notícia é que, embora sim seja um processo natural do envelhecimento, também sim, pode ser revertido. Vamos entender um pouquinho sobre a digestão.

Na cascata bioquímica da digestão no estômago temos que, sem ácido clorídrico suficiente não conseguimos transformar pepsinogênio em pepsina e desta forma não digerimos mais proteína. Se não digerimos mais proteína o organismo não absorve mais os aminoácidos. O que isso acarreta? A proteína vai acabar nas fezes.

Só aí já temos um problemão pois sema digestão das proteínas o corpo vai sofrer com fadiga, baixa imunidade, perda de massa muscular sem falar na questão do envelhecimento, bem como, pele, cabelos e unhas fracas. Mas o problema não para por aí.

Melhore sua digestão: Ácido Clorídrico + Enzimas Digestivas

Além da diminuição natural da quantidade de ácido clorídrico o organismo também perde as chamadas enzimas digestivas.

O pâncreas produz uma variedade de enzimas, na verdade nove no total. Essas enzimas pancreáticas promovem a melhoria a digestão não só de proteínas, mas também carboidratos, gorduras, e tudo que ingerimos.

Já falamos inúmeras vezes como a alimentação tem um papel importante na saúde e que ela atualmente é o fator decisivo juntamente com o estilo de vida na aceleração das doenças. Aqui nos processos digestivos falamos igualmente. Nosso corpo foi projetado para viver 120 anos e bem, porém com todo o lixo alimentar que ingerimos fica impossível ele não pedir ajuda antes.

O esperado hoje é que por volta dos 40 anos você comece a ter problemas digestivos, porém temos jovens de 25 anos criados a hamburguer e coca cola já apresentando os mesmos sintomas – deficiências digestivas.

Como corrigir essas deficiências digestivas?

Para todas as idades meu conselho é o quanto antes investir em alimentação menos processada possível. Buscar alimentos preparados na hora, bem como se esforçar em comer diariamente salada, fibras, oleaginosas e o quanto menos possível de carboidratos.

Tem um hábito que nos foi ensinando erradamente que nos prejudica e em muito na digestão. Pare de tomar líquidos enquanto come. Prefira ingerir água, chás e sucos pelo menos meia hora antes das refeições ou meia hora após as refeições. Isso porque os líquidos juntamente com as refeições diluem o poder ácido do estômago e assim, a digestão é dificultada.

Vale investir também na combinação de pepsina e cloridrato de betaína no meio das refeições. Embora esses produtos sejam facilmente manipulados, converse com seu médico. Essas enzimas auxiliam-na manutenção da saúde digestiva uma vez que, não conseguimos absorver nada que não for digerido primeiro.

Bianca Enricone - Microbiota Intestinal - Detox Kriyá - Foto Divulgação
Bianca Enricone – Microbiota Intestinal – Detox Kriyá – Foto Divulgação

Digestão e Microbiota intestinal

Para mim uma das maiores preocupações quando falamos de digestão não é de fato os sintomas que a grande maioria das pessoas relata: azia, refluxo, gazes, mas sim o que de fato isso pode a longo prazo gerar no nosso organismo.

Quando temos uma digestão ruim nós perturbamos, ou seja, alteramos a microbiota intestinal. Também já falamos aqui da importância dessa microbiota intestinal do ponto de vista saúde.

Consideramos atualmente que grande parte dos neurotransmissores são produzidos no intestino e não no cérebro. A saber, 85% da serotonina, conhecida como o hormônio da alegria é produzida no intestino. Porém, se esse intestino não estiver equilibrado, do ponto de vista da qualidade desta microbiota intestinal, essa serotonina NÃO será produzida.

Assim, abrimos uma porta imensa a ter depressão, ansiedade, insônia e tantos outros problemas relacionados a mente só porque o intestino está desequilibrado. Você já percebeu quanto os problemas relacionados a mente têm crescido? Diretamente proporcional a alimentação cada vez mais rápida, com produtos prontos, ultra processados e sem valor nutricional nenhum!

Será que os tratamentos para essas desordens emocionais e mentais devem continuar a base de antidepressivos? Ou devemos pensar fora da caixa e investir em detox e nutrição celular? Isso faz sentido para você?

Pare!

Se isso faz sentido para você, saiba que sempre é tempo de mudar. Mais ainda, o quanto antes começar tanto menor será o problema futuro. Costumo dizer que todo problema negligenciado é um problema ao quadrado que você terá no futuro.

Você sofre com depressão, ansiedade, insônia, fadiga, síndrome do pânico? Converse com seu médico e busque alternativas diferentes de apenas medicação.

Por onde começar?

Pela faxina! Claro que precisamos mudar a alimentação, mas sei que isso é um processo e a proposta é iniciar e não buscar a perfeição logo de cara. A mudança da alimentação envolve muitos fatores desde econômicos, de estilo de vida, sociais. Ela também tem um impacto direto na nossa rotina e por isso é tão difícil mudar.

Mas voltamos a faxina. Os chineses já fazem isso a anos é de tempos em tempos, na verdade a cada início de uma nova estação, promover uma limpeza intestinal.

De tudo que já experimentei o que eu mais gosto é a proposta do Detox Kriyá. É um programa de 30 dias que tem a proposta de fazer essa faxina e manter seu intestino equilibrado. Não é laxante e pode ser repetido quando quiser.

Além de equilibrar essa microbiota intestinal o Detox Kriyá ainda promove uma limpeza profunda do fígado, retirando gorduras e toxinas. Tire suas dúvidas comigo sobre o programa.

Bianca Enricone - Programa Detox Kriyá - Foto Divulgação
Bianca Enricone – Programa Detox Kriyá – Foto Divulgação

Logo após a limpeza chega a hora de entrarmos com a nutrição celular específica para garantir que esse terreno biológico seja alimentado com o que se faz necessário para as bactérias do bem se fixarem e se multiplicarem. Dessa forma garantimos que os neurotransmissores que falamos acima sejam produzidos de forma ótima.

O intestino equilibrado garante a sua saúde mental, tanto é que faz tempo que o intestino é considerado o segundo cérebro. E ao contrário do me muita gente pensa ir ao banheiro diariamente não é garantia que seu intestino esteja saudável.

Quer saber mais? Marque uma consulta comigo!

Bianca Enricone - Consulta - Foto Divulgação
Bianca Enricone – Consulta – Foto Divulgação

Siga a Dra. Bianca Enricone nas Redes Sociais:

Facebook 

Instagram 

YouTube

Fotos: Divulgação / Arquivo Pessoal

Fonte: Bianca Enricone
Assessora de Imprensa

Leia também:  O segredo da juventude pode estar em gene ruivo

 

Compartilhar Post:

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Outros Artigos

Precisa de ajuda?